O que é infraestrutura de TI? Definição e blocos de construção

A infraestrutura de TI é o conjunto de hardware, software, sistemas de rede, instalações e estruturas de TI.

A infraestrutura de TI, é definida como o conjunto de hardware, software, sistemas de rede, instalações e estruturas que permitem a entrega de serviços de TI a diferentes unidades de negócios e ajudam a manter sua presença digital. Este artigo explica os quatro componentes principais da infraestrutura de TI, vários tipos de arquiteturas de infraestrutura de TI e algumas práticas recomendadas de gerenciamento de infraestrutura.

O que é infraestrutura de TI?

A infraestrutura de TI, é o conjunto de hardware, software, sistemas de rede, instalações e estruturas que permitem a entrega de serviços de TI a diferentes unidades de negócios e ajudam a manter sua presença digital.

À medida que o ritmo da transformação digital acelera, as organizações estão prestando mais atenção à sua infraestrutura de TI como um dos impulsionadores de missão crítica de um negócio. O mercado global de infraestrutura de TI, está crescendo exponencialmente, aumentando em cerca de US$ 270,5 bilhões entre 2020 e 2024. Isso indica um CAGR forte de 18%, obtendo uma vantagem parcial devido ao, COVID-19 e suas implicações na TI.

De pequenas empresas a governos, de profissionais independentes a países inteiros, toda unidade organizacional precisa de infraestrutura de TI para operar um negócio conectado digitalmente. Por exemplo, deve ser possível administrar uma loja Mom and Pop com infraestrutura de TI zero, confiando inteiramente em processos manuais e em papel. No entanto, suponha que você modernize o negócio de alguma forma (aceitar pagamentos com cartão, oferecer entrega online, participar de comércio eletrônico, enviar atualizações aos clientes via WhatsApp, etc.). Nesse caso, você precisará investir em infraestrutura de TI.

Hoje, uma infraestrutura de TI robusta pode atuar como uma vantagem competitiva significativa para uma organização. Conforme o State of IT Infrastructure Report 2020 da Wipro, 75% das empresas estão procurando atualizar a infraestrutura desatualizada para alavancar novas tecnologias, como IA, ML, AR/VR, 5G, automação e blockchain. 16% têm soluções baseadas em IoT de propriedade da equipe de infraestrutura de TI e não da equipe da unidade de negócios.

À medida que sua infraestrutura de TI se torna mais complexa com o tempo e a adoção de novas tecnologias, você precisa de ferramentas sofisticadas de gerenciamento de infraestrutura de TI para ajudá-lo a se manter atualizado. É por isso que, para 6% das organizações, o AIOps desempenha um papel central no gerenciamento de infraestrutura, com mais organizações no estágio piloto.

Outro conceito importante relacionado à infraestrutura de TI, é a noção de operações internas contra operações gerenciadas. Pequenas e médias empresas (principalmente se não forem nativos digitais), como uma rede de varejo ou um grupo de hospitalidade, podem optar por fazer parceria com um provedor terceirizado que pode gerenciar a infraestrutura de TI remotamente, com ocasionais visita ao local. Grandes organizações e empresas nativas digitais geralmente optam por hospedar e gerenciar suas operações de TI por meio de equipes internas e infraestrutura própria em vez de terceirização.

Mas não importa a escala ou sua estratégia de gerenciamento de infraestrutura, a infraestrutura de TI de uma organização necessariamente compreenderá quatro componentes.

Blocos de construção da infraestrutura de TI

Conforme mencionado na seção anterior, uma organização moderna de qualquer tamanho contará com quatro blocos de construção de TI cruciais. Estes podem ser categorizados em outros subcomponentes, conforme discutido abaixo:

1. Hardware

Hardware refere-se a todas as partes físicas, componentes e equipamentos necessários para a manutenção da infraestrutura de TI de uma organização. Para uma microempresa como uma loja Mom and Pop, isso pode ser um único PC e uma impressora. Empresas de médio porte podem usar um conjunto de PCs para sua força de trabalho, um ou dois servidores para hospedar seu portal de comércio eletrônico/negócios e talvez um dispositivo de segurança adicional.

Grandes organizações possuem extensos sistemas de tecnologia e grandes instalações, como data centers, para abrigá-las. Ao optar por um provedor de serviços de TI gerenciados, você pode alugar os componentes de hardware de sua infraestrutura em vez de comprá-los diretamente.

Os subcomponentes do hardware de TI, incluem o seguinte:

  • Servidores autônomos;
  • Computadores pessoais e estações de trabalho, como laptops e pontos de venda;
  • Equipamento de roteador físico;
  • Fones de ouvido, impressoras, dispositivos de colaboração e outros periféricos;
  • Data centers ou salas de servidores.

2. Software

Software é qualquer componente de infraestrutura que requer hardware adicional como ambiente host. Hardware e software trabalham juntos para formar uma configuração de TI holística. Isso inclui um único PC que usa um SO de software, um conjunto de aplicativos de produtividade e software de segurança, uma grande configuração de vários ecossistemas com diferentes endpoints. Também inclui sistemas operacionais Windows, Linux e Mac, ambientes em contêiner para criar aplicativos e armazenamento em nuvem hospedado em um servidor remoto.

Os componentes de software tornaram-se cada vez mais centrais para as operações de TI, substituindo muitos dos componentes de hardware tradicionais. Por exemplo, agora é possível ter roteadores de rede baseados em software, aplicativos implantados por OTT em vez de unidades físicas ou CDs e firewalls de próxima geração (NGFW) em vez de um dispositivo de hardware.

Os subcomponentes do software de TI, incluem:

  • Variantes e distribuições do sistema operacional (SO);
  • Aplicativos de terceiros para produtividade, testes, segurança, etc.
  • Aplicativos SaaS (baseados em desktop e baseados na web) e software de licença perpétua;
  • Aplicativos de software, mercados e serviços construídos internamente;
  • Ambientes de criação, hospedagem e produção de aplicativos, como a nuvem ou contêineres;
  • Utilitários baseados em software, como NGFW, roteadores, software ANC, conectores, APIs, etc.

3. Rede

Tecnicamente, esse é um componente opcional da infraestrutura de TI, mas agora se tornou obrigatório para qualquer ambiente de negócios moderno. Sem sistemas de rede, você teria dispositivos locais autônomos sem acesso à Internet pública ou privada. O componente de rede alimenta muitos outros blocos de construção das operações de TI hoje, incluindo processos baseados em nuvem, aplicativos SaaS e entrega pelo ar.

As redes compreendem componentes de hardware e software e as configurações que você define para controlar e gerenciar o acesso à rede para vários usuários. Licenças de operadoras e parcerias com provedores de telecomunicações também podem ser consideradas o aspecto de rede do gerenciamento de infraestrutura de TI.

Os subcomponentes de uma rede incluem:

  • Diferentes tipos de cabos para conectividade de internet privada e pública (CAT 5/6/7, fibra ótica, etc.);
  • Dispositivos de rede como firewalls, roteadores e switches;
  • Componentes de software como firewalls baseados em software, infraestrutura SDN, etc.
  • Interfaces de aplicativos para configurar a rede;
  • Interfaces de aplicativos para gerenciar acesso de usuários, segurança de rede, alocação de largura de banda, etc.
  • Servidores Web para atuar como um hub de conexão para atividades de TI em rede.

No final do dia, quase todos os componentes de infraestrutura podem ser classificados como hardware ou software. Mas entender essas nuances mais profundas e possibilidades de tecnologia pode ajudá-lo a alcançar um cenário de TI mais maduro.

Tipos de arquiteturas de infraestrutura de TI

Uma arquitetura de infraestrutura de TI, define como você projeta e estrutura seus componentes de TI para melhor desempenho, gerenciamento mais simples, escalabilidade e economia. Existem vários tipos de arquiteturas de infraestrutura de TI que você pode escolher, dependendo do tamanho e da natureza da sua organização. Os vários tipos de arquiteturas de infraestrutura de TI, estão listados abaixo.

1. Infraestrutura tradicional

Em um projeto de arquitetura tradicional, os componentes de TI normalmente existem no local e em silos. A empresa compra a maioria dos equipamentos e softwares de TI, contando principalmente com uma equipe interna para manter os motores funcionando. Diferentes locais podem ter diferentes equipes de TI, liderando-os, e os sistemas nas unidades de negócios, escritórios e regiões existem em silos. Você encontrará esse tipo de arquitetura de infraestrutura de TI em organizações nativas não digitais de pequeno a médio porte.

2. Arquitetura convergente

Esse tipo de arquitetura de infraestrutura de TI, tem em vista abordar a fragmentação encontrada na infraestrutura tradicional. Ele agrupa componentes de TI relacionados em um único hub otimizado e configura fluxos de trabalho conectados para visibilidade centralizada. Os recursos disponíveis são agrupados em “pools de recursos” compartilhados por diferentes aplicativos e processos, dependendo da prioridade e das políticas de negócios. A nuvem permitiu ainda mais arquiteturas de infraestrutura de TI convergentes, facilitando a consolidação, centralização e desembolso de recursos.

3. Infraestrutura desagregada combinável

Este é um subtipo de arquitetura convergente, mas usa componentes de TI no local. É uma tecnologia emergente que permite que os data centers físicos se comportem como um servidor virtual para que os recursos possam ser alocados sob demanda. A infraestrutura desagregada composta é alimentada por redes de alta velocidade e baixa latência que permitem alocação rápida de recursos e tempos de inatividade mínimos. Esse tipo de arquitetura de infraestrutura de TI, é uma alternativa emergente para grandes empresas nativas digitais.

4. Infraestrutura hiperconvergente

Assim como uma arquitetura de infraestrutura de TI convergente, a infraestrutura hiperconvergente quebra os silos e permite o gerenciamento centralizado, mas usa componentes de software hospedados em um hipervisor para conseguir isso. Seus principais componentes incluem armazenamento definido por software, rede definida por software e, é claro, o hipervisor, permitindo a federação de recursos entre os processos. Esse tipo de arquitetura de infraestrutura de TI geralmente opera usando servidores comerciais prontos para uso (COTS).

5. Infraestrutura como serviço (IaaS)

Avaliado em apenas US$ 31,61 bilhões em 2019, espera-se que o IaaS ultrapasse US$ 202 bilhões até 2027, em linha com a tendência de se afastar das arquiteturas de infraestrutura de TI com hardware pesado. A IaaS usa serviços online para substituir recursos e componentes físicos de computação, executados em uma nuvem pública ou em hipervisores/máquinas virtuais privadas. É semelhante às infraestruturas hiperconvergentes, mas os serviços de TI são fornecidos e mantidos inteiramente por terceiros de acordo com um modelo de licenciamento baseado em assinatura aaS.

6. Infraestrutura como código

Essa é uma abordagem específica de gerenciamento de infraestrutura de TI que permite manter e manobrar a arquitetura usando aplicativos de software ou linhas de código em vez de configurações de hardware físico, ou configurações de interface do usuário. A infraestrutura como código se aplica a componentes de TI de hardware e software, com código implantado estrategicamente ajudando a monitorar processos, provisionar recursos, reforçar a segurança e realizar outras atividades.

7. Arquitetura baseada em nuvem

A nuvem está se tornando rapidamente o ambiente padrão para hospedar componentes de infraestrutura de TI, com a opção de migrar totalmente para uma nuvem pública, dividir processos entre ambientes locais e em nuvem, ter sua própria nuvem privada ou implementar serviços de nuvem gerenciados. Hoje, a maioria das organizações escolhe a rota de nuvem híbrida, onde há uma combinação de recursos locais e de nuvem e a coexistência de fornecedores de nuvem privada e múltipla.

Alguns dos principais tipos de arquitetura de infraestrutura de TI baseada em nuvem são:

  • Nuvem 100% pública usando AWS, Azure, Google Cloud ou qualquer outro provedor público;
  • Nuvem 100% privada, com aplicativos, dados e processos hospedados fora do local em servidores remotos;
  • Nuvem gerenciada, onde um parceiro de TI externo gerencia a nuvem privada/pública/híbrida ;
  • Multinuvem usando uma combinação de vários fornecedores de nuvem pública;
  • Nuvem híbrida, onde coexistem sistemas públicos, privados e locais.

A nuvem é central para vários princípios do design de arquitetura de TI, por exemplo, ela permite a implantação de IaaS e pode simplificar as arquiteturas convergentes.

Essas arquiteturas de infraestrutura de TI, variam em termos de custos e esforços necessários e seus recursos funcionais. Normalmente, os sistemas locais são mais populares entre empresas de médio a grande porte que podem gerenciá-los internamente e investir em sua maturidade crescente sem muito suporte externo.

A nuvem é popular entre empresas de todos os tamanhos, graças à sua incrível escalabilidade, desde as menores até as grandes organizações distribuídas. A infraestrutura convergente, hiperconvergente, habilitada por código, IaaS e composable desagregada são geralmente aproveitadas por empresas nativas digitais que aproveitam a tecnologia como parte fundamental de suas principais ofertas de mercado.

Por fim, arquiteturas tradicionais ou primitivas ainda são comuns entre micro e pequenas empresas, que estão apenas iniciando suas jornadas de transformação digital.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + vinte =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.