O futuro da Web3 e a estratégia de comércio eletrônico

O futuro do comércio eletrônico na Web3 oferecerá às marcas uma oportunidade de mudar sua estratégia de branding e focar em experiências centradas no usuário e design ágil.

A Web3 está mudando nossas vidas à medida que avança para um software de código aberto que usa a tecnologia blockchain como o principal impulsionador de uma internet transparente. Michael Gaizutis, fundador e CXO da RNO1, fala sobre a Web3 e como a estratégia de e-commerce precisará passar por mudanças significativas no futuro.

Essa mudança traz consigo questões importantes para empresas, consumidores e reguladores. O e-commerce é um setor que já adota essas mudanças, mas há espaço para discutir a estratégia de longo prazo. Como as empresas ficarão à frente da curva?

Post O futuro da Web3 e a estratégia de comércio eletrônico

Construindo um roteiro Web3 para o sucesso do comércio eletrônico

Conforme a Associação Comercial Internacional, o E-commerce vem mostrando um rápido crescimento nos últimos anos. A indústria teve uma participação de 18% nas vendas globais de varejo em 2020 e deve ter uma taxa de crescimento anual de mais de 1%, alcançando uma participação de quase 22% nas vendas globais de varejo até 2024.

Com a adoção generalizada de criptomoedas e blockchain, esses números aumentarão e as marcas de comércio eletrônico devem optar por mudar e dimensionar seus modelos de negócios. O sucesso da Web3 é impulsionado, em parte, pela demanda contínua dos consumidores por transparência. Isso deve orientar como as decisões financeiras e de marca são tomadas e alimentar o espírito da experiência do usuário.

Alavancar o crescimento dos negócios e os funis estratégicos para oportunidades é essencial, mas a Web3 trata de identificar e construir uma comunidade, dando uma sensação de propriedade de volta ao consumidor. As marcas de comércio eletrônico que entendem a interseção de narrativa inteligente, alinhamento de valor para o cliente e como isso se traduz em uma experiência significativa da comunidade prosperarão no ambiente Web3. A falha em ignorar a necessidade de comunidade e como isso pode tomar forma como o verdadeiro alinhamento da marca pode resultar na perda da fidelidade do cliente. O comércio eletrônico e a Web3 permitirão que as marcas entendam suas personas de comprador em um nível mais profundo, mas será importante não “exagerar” em um espaço onde os usuários jovens estão hiperconscientes dessas táticas.

Navegando por transações online e redes descentralizadas

O futuro das transações online, experiências e opções do cliente só continuará a crescer nos próximos anos. Os inovadores de comércio eletrônico devem avaliar o quão versáteis desejam que suas soluções sejam e garantir que sejam flexíveis o suficiente para evoluir com os recursos e padrões do setor à medida que essa fronteira digital evolui. Se uma marca de roupas quer aceitar criptomoedas e uma integração da Coinbase Wallet marca todas as caixas. Existem infinitas opções a serem consideradas, e tudo depende do que faz sentido para uma marca e sua comunidade.

As marcas de comércio eletrônico também devem considerar aplicativos financeiros descentralizados, como Uniswap ou dyDx, camadas de blockchain, integrações de carteira e uma longa lista de soluções possíveis que funcionam para o que estão tentando alcançar. Essas melhorias precisam ser projetadas com o usuário final em mente. As empresas não podem esquecer que os usuários envolvem muitas marcas em sua vida. Eles aprendem hábitos de interação com base no design, sistemas de pagamento e interfaces de suas empresas de cartão de crédito, seu banco, sua loja online favorita e seu sistema de compartilhamento de arquivos de trabalho baseado em nuvem. Os usuários estão desenvolvendo uma memória muscular UX digital que as marcas devem considerar ao criar uma experiência familiar e valiosa para seus clientes.

Web3 é impulsionado pela marca. As empresas devem considerar alinhar seu crescimento estratégico nesse espaço, criando ethos e familiaridade com os consumidores em plataformas totalmente digitais. Em um mercado Web3 que é (em teoria) de propriedade da comunidade, os estabelecimentos de comércio eletrônico devem examinar suas motivações, deixar claro seu ethos e reconhecer quais elementos de sua estratégia podem e devem ser priorizados.

Reconfigurando a experiência

De muitas maneiras, os últimos anos foram sobre o afastamento da experiência tradicional de varejo e a adoção de novas maneiras de os consumidores comprarem produtos on-line. Muitas marcas mudaram de lojas físicas para online, tornando a experiência física menos prioritária e, assim, reformulando os relacionamentos com os clientes. Da mesma forma, algumas marcas abriram lojas físicas mais tarde, precisando de uma nova conexão com sua base de consumidores. O Web3 adiciona uma nova camada e profundidade ao aspecto experiencial de cada interação. As marcas têm a oportunidade de avaliar quais pontos de contato são os mais importantes para sua missão e como desejam que suas experiências futuras se desenrolem daqui para frente.

Forma e Função

Uma mudança crítica no comércio eletrônico é o ressurgimento da forma relacionada à tecnologia, utilidade e função. Nos últimos anos, o comércio eletrônico transformou a maneira como as pessoas fazem compras e a tecnologia básica está se tornando mais avançada. No entanto, as oportunidades de revisitar o design e a forma à medida que as soluções de comércio eletrônico evoluem são onde as marcas podem se diferenciar radicalmente no futuro. Os usuários querem conexões significativas, identidades de marca memoráveis ​​e experiências além da função básica dos desenvolvimentos tecnológicos. É aí que Forma e Função design pode mostrar experiências de comércio eletrônico de próximo nível. As marcas podem remodelar os músculos de seus consumidores.

Abordando o alinhamento de valor e a transparência

O alinhamento do valor do consumidor é uma peça essencial do quebra-cabeça da marca do consumidor e se desdobrará de maneiras interessantes à medida que o comércio eletrônico avançar na Web3. Por exemplo, 68% dos consumidores acreditam que o comportamento de uma empresa é tão importante quanto seus produtos e serviços. Mesmo com essas altas expectativas, apenas 38% das pessoas pensam que as ações positivas que as marcas implementam fazem a diferença ou refletem seus principais sistemas de crenças.

O potencial de lucro para marcas de moda no metaverso, por exemplo, é astronômico. Em 2030, o valor do metaverso pode chegar a US$ 5 trilhões. As marcas de moda, em particular, precisarão pesar lucros ou práticas éticas em suas tomadas de decisão para construir uma experiência que funcione com seus objetivos. É aí que o pensamento de design estratégico será levado em consideração na conversa.

Projeto para o usuário

A adoção de novos métodos de pagamento apresenta uma excelente oportunidade para o crescimento e evolução do setor de comércio eletrônico. A construção de novas estratégias que impulsionam as marcas sistematicamente exigirá especialistas em design na vanguarda para apoiar a próxima onda da Web3. Web3 é um espaço onde uma marca existe como mais do que um logotipo: cada ponto de contato representa o ethos de uma marca, desde a inserção de senhas até a conclusão de transações de vendas para assistentes virtuais. O design de experiência de alto nível será essencial para o sucesso da marca no espaço de comércio eletrônico. Mais importante ainda, a empresa de negócios experiente traz o design para a mesa à medida que inicia seu crescimento na Web3.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − treze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.