Os 12 principais tipos de arquivo de imagem e seus usos

Arquivos de imagem, de JPEG, BMP e GIF a aplicativos nativos como PSD, desempenham um papel vital na experiência digital.

Os arquivos de imagem estão entre os tipos de arquivo digital mais onipresentes no mundo da computação pessoal e em várias linhas de negócios, como marketing, desenvolvimento web, publicidade, design gráfico, etc. Este artigo explica os 12 tipos de formatos de arquivo de imagem em uso atualmente. Ele também discute os principais recursos dos arquivos de imagem e como eles funcionam.

Definindo Recursos de Arquivos de Imagem

Arquivos de imagem são provavelmente o tipo de arquivo mais comumente encontrado por usuários comuns de dispositivos de computador. No início da curva de aprendizado digital, os usuários experimentam arquivos de imagem em vários formatos usados ​​em diferentes cenários, de mídia social a fotografia e compartilhamento pessoal. Nos últimos anos, os arquivos de imagem tornaram-se ainda mais críticos por dois motivos:

  • A ascensão de plataformas como Instagram e Pinterest: plataformas como essas dependem fortemente de imagens (e outros tipos de recursos visuais) para angariar tráfego. Relacionado a isso está o aumento dos anúncios digitais, que também usam imagens incorporadas para atrair usuários.
  • A revolução do software como serviço (SaaS) e do aplicativo da Web: com muitos aplicativos pessoais e de produtividade sendo transferidos para a Internet, os arquivos de imagem estão por toda parte. Os aplicativos de produtividade dependem muito de tipos de arquivo, como ícones, para interagir com o usuário e melhorar a experiência do usuário (UX).

No entanto, apesar de sua onipresença, os arquivos de imagem são mais complexos do que podem parecer na superfície. As imagens digitais existem há várias décadas e os tipos de arquivo de imagem evoluíram ao longo dos anos para acompanhar as tendências emergentes. Por exemplo, desde 2021 – 2022, vimos o uso generalizado de tipos de arquivo 3D que podem capturar e representar uma sensação de profundidade por meio de uma configuração de três câmeras e codificação apropriada das informações do arquivo.

As primeiras imagens digitais apareceram na década de 1960, impulsionadas por avanços em imagens de satélite, pesquisa aeroespacial e medicina. Naquela época, essas imagens digitais ainda não estavam ligadas à computação, e levaria muitos anos até que a computação pessoal se tornasse difundida.

Somente nas décadas de 80 e 90 aplicativos de software como Deluxe Paint e PC Paintbrush começaram a ser enviados com dispositivos de computação. Graças a esses aplicativos, os usuários agora podem criar e salvar suas próprias imagens no armazenamento de um computador pessoal. Isso deu origem à primeira geração de tipos de arquivo de imagem, como os conhecemos hoje, fora do uso industrial.

O Deluxe Paint usava a extensão de arquivo de imagem Interchange File Format (.iff), enquanto o PC Paintbrush usava o formato PiCture eXchange (.pcx). Ambos estão extintos hoje. Em seu lugar, os anos 90 viram o surgimento dos formatos Joint Photographic Experts Group (.jpeg) e Bitmap (.bmp) que resistiriam ao teste do tempo e ainda são usados ​​hoje.

Além disso, vários aplicativos de software de edição de imagem têm suas próprias extensões de arquivo nativas, que evoluíram para acompanhar o ritmo do software. Por exemplo, .stl, .obj, etc., foram desenvolvidos para conter e transmitir informações de impressão 3D em arquivos 3D, distintos dos arquivos de imagem.

Agora que vimos o significado dos arquivos de imagem, discutiremos seus recursos definidores:

1. Contém informações codificadas

Uma imagem digital, como qualquer outro arquivo, codifica as informações encontradas no mundo real em um formato que as máquinas podem entender. Para uma imagem, isso geralmente é feito definindo vários limites para diferentes níveis de escuridão e, em seguida, marcando os pixels mais escuros ou mais claros do que esse limite com 1 ou 0. Algoritmos mais complexos são desenvolvidos para tipos de imagem mais complexos usando ferramentas de processamento de dados como MATLAB. Uma imagem digital pode não apenas armazenar informações, mas também transmiti-las. Isso significa que os dispositivos de saída podem ler os tipos de arquivo de imagem e apresentá-los ao usuário em um formato visual. Se você usar o aplicativo de software correto, também é possível editar o conteúdo de um arquivo de imagem já criado.

2. Inclui um cabeçalho e dados de imagem

Todos os formatos de arquivo de imagem têm duas partes, o cabeçalho e os dados. O cabeçalho contém metadados essenciais sobre o arquivo, como seu formato, tipo de compactação, se é uma imagem em tons de cinza ou colorida, as dimensões da imagem, versão e informações de edição, etc. não contém nada além de dados estritamente necessários. Dentro, os dados da imagem conterão a versão codificada da representação visual. Também pode incluir um mapa de cores que alinha os dados ao nível de pixel com uma gama de cores.

3. Segue um formato raster ou vetorial

Os formatos raster são as imagens digitais 2D regulares que vemos diariamente. Eles são amplamente utilizados para editar imagens e fotos em design gráfico. Os arquivos raster são feitos de pixels, enquanto os arquivos de imagem vetorial são compostos de caminhos. Como resultado, os vetores têm várias partes que juntas formam contornos claros de formas. Esses caminhos são independentes da resolução. Por outro lado, os arquivos Raster são uma matriz de pixels que formam uma imagem complexa. 

4. Pode ser redimensionado com ou sem perda de qualidade

Um recurso definidor de um arquivo de imagem é que ele pode ser redimensionado, ou seja, reduzido ou expandido, mantendo a proporção de suas dimensões. Um algoritmo de compactação sem perdas arquiva isso preservando a qualidade, mas pode aumentar o tamanho do arquivo. Na compactação regular (com perdas), o arquivo de imagem é expandido, mas pode haver uma perda quase imperceptível em sua qualidade. O tipo de arquivo de imagem escolhido dependerá do aplicativo, dos casos de uso e dos recursos disponíveis (por exemplo, memória).

12 tipos de extensões de arquivo de imagem

Os 12 principais tipos de arquivos de imagem e suas extensões, amplamente usados ​​hoje, são detalhados abaixo em ordem alfabética:

1. Adobe Illustrator (IA)

  • Visão geral: o arquivo AI é um formato proprietário do Adobe Illustrator (AI) para imagens vetoriais desenvolvidas pelos sistemas Adobe. Os arquivos AI são pequenos e facilmente escaláveis. Os arquivos vetoriais são construídos em uma fórmula infinitamente expansível e complexa semelhante a um gráfico; portanto, eles não perdem resolução quando dimensionados. Eles também permitem camadas e transparência. A extensão do nome do arquivo é .ai.
  • Mais adequado para: arquivos AI são usados ​​principalmente por designers e ilustradores em mídia impressa e gráficos digitais. Os arquivos AI são compatíveis apenas com o Adobe Illustrator ou outro software de edição profissional, embora com menos recursos.
  • Prós: os arquivos AI oferecem recursos de redimensionamento infinitos. Isso os torna uma excelente escolha para reproduzir desenhos e logotipos de ilustradores impressos.
  • Contras: os formatos de arquivo AI não são suportados pelos navegadores nem pela maioria dos visualizadores de imagem padrão e não devem ser usados ​​na web.

2. Bitmap (BMP)

  • Visão geral: Os arquivos bitmap (BMP) foram inicialmente desenvolvidos para exibir imagens de alta qualidade em computadores Windows, embora atualmente também sejam compatíveis com dispositivos Mac e Android. Os arquivos BMP armazenam imagens bidimensionais monocromáticas ou coloridas. As extensões de nome de arquivo são .bmp ou .dib.
  • Mais adequado para: os arquivos BMP são compatíveis com a maioria dos navegadores da Web, visualizadores de imagem padrão e software de edição. Designers e fotógrafos usam arquivos BMP para armazenar e imprimir fotos digitais de alta qualidade.
  • Prós: os arquivos BMP são independentes do dispositivo, portanto, podem ser armazenados em vários dispositivos sem perda de qualidade. Eles também podem lidar com várias profundidades de cores, perfis e canais alfa.
  • Contras: os arquivos BMP contêm apenas imagens em vermelho, verde e azul (RGB), o que não é adequado para pessoas que usam regularmente ciano, magenta, amarelo e preto (CMYK). Arquivos BMP descompactados não são adequados para compartilhamento, uso em sites ou armazenamento.

3. Pós-escrito encapsulado (EPS)

  • Visão geral: um arquivo postscript encapsulado (EPS) é uma imagem vetorial usada para armazenar ilustrações no Adobe Illustrator ou ilustradores de terceiros, como o CorelDraw. Os arquivos EPS suportam dimensionamento sem perdas, pois os documentos baseados em texto descrevem formas e linhas usando código. As extensões de nome de arquivo são .eps, .epsf e .epsi.
  • Mais adequado para: a extensão EPS é um tipo de arquivo universal que pode abrir arte baseada em vetor em qualquer editor de design. Designers e artistas usam arquivos EPS para produzir gráficos de alta resolução para impressão. Os arquivos EPS criam logotipos, arte vetorial, ilustrações e ícones.
  • Prós: os arquivos de imagem EPS são compatíveis com impressoras anteriores, portanto, adequados para impressão com uma ampla variedade de impressoras.
  • Contras: Os arquivos EPS não são suportados pelos principais navegadores da web. Eles também não são editáveis ​​após salvos, exigindo que os designers usem o arquivo de design original para fazer alterações antes de salvá-los novamente.

4. Formato de intercâmbio de gráficos (GIF)

  • Visão geral: GIF significa formato de intercâmbio de gráficos. É um formato raster que usa compactação sem perdas. No entanto, ele restringe a imagem a 8 bits por pixel e pode conter apenas 256 cores indexadas; assim, tem qualidade inferior. Arquivos GIF são populares para suporte de animação usado em memes ou criação de banners animados. A extensão do nome do arquivo é .gif.
  • Mais adequado para: arquivos GIF são compatíveis com navegadores da Web e vários visualizadores de imagens. Os criadores de conteúdo usam arquivos GIF para criar guias de tutoriais de instruções.
  • Prós: os arquivos GIF oferecem suporte a animação, permitindo que imagens ou quadros sejam combinados. Os tamanhos de arquivo são pequenos e carregam mais rápido em páginas da web.
  • Contras: os arquivos GIF são limitados a uma paleta de 256 cores; assim, as imagens têm baixa resolução e, às vezes, podem estar embaçadas. A edição de arquivos GIF pode ser demorada porque combinam várias imagens.

5. Arquivo de imagem de alta eficiência (HEIF)

  • Visão geral: HEIF significa formato de arquivo de imagem de alta eficiência. É uma alternativa ao JPEG com quase o dobro de eficiência. HEIF é um formato compactado com perdas que requer menos espaço de armazenamento, mantendo a qualidade de imagem. As extensões de nome de arquivo são .heif(s), .heic(s), .avci e .avif(s).
  • Mais adequado para: os arquivos HEIF estão associados a dispositivos Apple. Os principais navegadores não oferecem suporte a arquivos HEIF. Os fotógrafos profissionais usam arquivos HEIF, pois possuem alta qualidade de imagem com um esquema de cores de 16 bits.
  • Prós: os arquivos HEIF podem conter sequências de imagens, armazenando várias imagens em um único formato, como imagens em sequência ou fotos ao vivo.
  • Contras: HEIF é um formato de imagem raster que leva a uma perda de qualidade ao ampliar as imagens. A maioria das plataformas sociais não oferece suporte para arquivos HEIF; portanto, as imagens carregadas perdem sua qualidade.

6. Grupo conjunto de especialistas em fotografia (JPEG ou JPG)

  • Visão geral: o formato de arquivo do grupo de especialistas fotográficos conjuntos (JPEG ou JPG) é o tipo de arquivo mais comum encontrado na Web e em fotografias. Os arquivos JPEG usam compactação com perdas para compactar imagens para armazenamento e compartilhamento. Eles também suportam cores de até 24 bits. As extensões de nome de arquivo são .jpg, .jpeg, .jpe, .jif, .jfif e .jfi.
  • Mais adequado para: arquivos JPEG são suportados por todos os navegadores e visualizadores de imagens. Os fotógrafos os usam para exibir fotografias, pois são pequenas. Os blogueiros também usam arquivos JPEG para exibir imagens para tempos de carregamento de página mais rápidos.
  • Prós: os arquivos de imagem JPEG permitem um pós-processamento mais fácil, pois o balanço de branco e a saturação são definidos com o clique do obturador.
  • Contras: A compactação com perdas de arquivos JPEG pode causar o aparecimento de artefatos como ruído, blooming e aliasing nas bordas das imagens, afetando assim a qualidade da imagem.

7. Gráficos de rede portáteis (PNG)

  • Visão geral: Portable network graphics (PNG) é um formato de arquivo raster que oferece suporte à compactação de dados sem perdas. Os arquivos PNG são adequados para exibir imagens digitais de alta qualidade em páginas da web, pois permitem salvar imagens com maior variação de cores em um fundo transparente. A extensão do nome do arquivo é .png.
  • Mais adequado para: arquivos PNG são suportados por todos os principais navegadores, softwares e editores de imagem. Os designers usam arquivos PNG para logotipos, pois oferecem suporte a fundos transparentes. Eles também são usados ​​para exibir gráficos e gráficos detalhados em sites.
  • Prós: os arquivos PNG têm maior variação de cores do que os arquivos GIF, portanto, podem armazenar imagens mais detalhadas.
  • Contras: os arquivos PNG retêm os dados originais quando compactados, portanto, são maiores quando comparados aos arquivos GIF ou JPEG. Eles também não são adequados para mídia impressa, pois não suportam os modos de cores ciano, magenta, amarelo e preto (CMYK).

8. Adobe Photoshop (PSD)

  • Visão geral: PSD é um formato de arquivo de imagem usado para salvar documentos de imagem e trabalhos em andamento no Adobe Photoshop. Os arquivos PSD contêm uma imagem com camadas e máscaras. As camadas são empilhadas umas sobre as outras, permitindo que os designers creditem as imagens usando vários níveis de transparência. A extensão do nome do arquivo é .psd.
  • Mais adequado para: arquivos PSD são compatíveis com aplicativos baseados em navegador e software de edição profissional, como Photoshop, Adobe Illustrator e Premiere Pro. Designers e artistas usam arquivos PSD para produzir e editar imagens de alta qualidade.
  • Prós: os arquivos PSD suportam gráficos de alta qualidade com uma vasta profundidade de imagem e profundidade de cores, pois podem reter até 30.000 pixels de altura e largura.
  • Contras: Após a manipulação, os arquivos PSD podem ficar grandes, até 2 GB, tornando impraticável compartilhar ou armazenar. Os arquivos PSD também não devem ser usados ​​na web.

9. Formato não compactado de câmera ou raw

  • Visão geral: As câmeras digitais usam formatos de arquivo de imagem bruta para armazenar imagens de alta qualidade e não editadas. Arquivos brutos podem ser grandes, pois contêm imagens não compactadas. Arquivos brutos podem ter até 14 bits de cor por imagem, o que dá aos fotógrafos flexibilidade ao editar no pós-processamento. Raw tem várias extensões de nome de arquivo, como .3fr, .arw, .cr e .rw2.
  • Mais adequado para: Arquivos brutos são compatíveis com os principais navegadores e só podem ser editados em software relevante, como Photoshop ou Lightroom. Os fotógrafos editam e convertem arquivos brutos antes de imprimir.
  • Prós: Arquivos brutos são descompactados e detalhados; assim, os designers têm mais com o que trabalhar. Eles têm uma ampla gama de cores e valores tonais RGB aumentados.
  • Contras: os arquivos brutos são grandes, o que pode exigir espaço adicional. Eles também não são adequados para uso na web.

10. Gráficos vetoriais escaláveis ​​(SVG)

  • Visão geral: Scalable vector graphics (SVG) é um formato de imagem vetorial de linguagem de marcação extensível (XML) para gráficos bidimensionais com suporte para animação e interatividade. O formato de arquivo SVG é comumente usado em web design responsivo, pois armazena informações de texto em um formato detectável pelos mecanismos de pesquisa. As extensões de nome de arquivo são .svg e .svgz.
  • Mais adequado para: arquivos SVG são suportados pelos principais navegadores e pela maioria dos softwares de ilustração. Os designers podem redimensionar arquivos SVG sem perda de qualidade; assim, esses arquivos exibem ícones, logotipos e ilustrações simples.
  • Prós: os arquivos SVG descrevem imagens e gráficos em um formato legível pelos mecanismos de pesquisa. Portanto, eles são usados ​​para otimização de SEO.
  • Contras: O código em arquivos SVG é difícil de entender para iniciantes. Eles não podem exibir imagens de alta qualidade, pois não possuem pixels.

11. Formato de arquivo de imagem de marca (TIFF)

  • Visão geral: TIFF significa formato de arquivo de imagem de marca. TIFF é um formato de imagem raster comumente usado para armazenar e editar fotos, gráficos e ilustrações para impressão. O TIFF oferece suporte à compactação com e sem perdas. Eles são geralmente descompactados e grandes. Os arquivos TIFF também suportam transparência. As extensões de nome de arquivo são .tiff e .tif.
  • Mais adequado para: arquivos TIFF são compatíveis com software como Adobe Illustrator e Photoshop. Eles têm suporte limitado a navegadores, como Safari e Edge. Fotógrafos e editores profissionais os utilizam para produzir e armazenar fotos de alta qualidade antes da impressão.
  • Prós: os arquivos TIFF funcionam como recipientes para arquivos JPEG, menores e podem armazenar várias imagens em um único gráfico raster.
  • Contras: os formatos TIFF não são adequados para uso na web. Os arquivos TIFF são grandes devido aos detalhes e resolução incríveis, portanto, podem ser impraticáveis ​​para armazenamento ou compartilhamento.

12. Imagem da Web (WebP)

  • Visão geral: o formato WebP permite que os desenvolvedores criem imagens menores com a mesma qualidade dos arquivos JPEG. O formato de arquivo da Web oferece suporte à compactação sem perdas e com perdas para imagens digitais. Os formatos WebP também fornecem suporte para animação e transparência. A extensão do nome do arquivo é .webp.
  • Mais adequado para: WebP é compatível com os principais navegadores da Web e editores de imagens profissionais, como o Photoshop. Os desenvolvedores e designers da Web usam arquivos WebP e arquivos WebP animados para compactar fotos e gráficos sem reduzir a qualidade das imagens do site.
  • Prós: os arquivos WebP vêm em tamanhos pequenos, que permitem velocidades de carregamento da Web mais rápidas e aprimoram a experiência do usuário. Eles também economizam espaço em disco do servidor para sites.
  • Contras: os arquivos WebP requerem uma boa conexão com a Internet. Às vezes, as compressões podem levar à redução da qualidade das imagens.

Conclusão

Os arquivos de imagem são uma peça fundamental da tecnologia no mundo moderno. Eles auxiliam no compartilhamento de informações e, dependendo do tipo de arquivo escolhido, podem aumentar a produtividade do usuário em diferentes aplicativos de software. Os 12 tipos de arquivo de imagem discutidos neste artigo são os mais notáveis, mas pode haver vários outros se você usar uma ampla variedade de ferramentas de edição de fotos e design visual. O tipo de arquivo de imagem correto otimizará o uso da memória sem comprometer a qualidade e a reutilização.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 3 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.